16.7.13

Roteiro Marrakech - Part II

Marrakech é de facto uma cidade que tem muito para dar a quem a visita... Nós tivemos a sorte da nossa viagem incluir uma visita guiada que foi muito interessante por ter sido com um guia marroquino que falava português e que tinha uma cultura enorme e por isso nos deu muitas explicações super interessantes! 
Mais pontos importantes a reter:
- O Dirham é a moeda local e a melhor forma de fazer contas é pensar que 10 Dirhams equivalem a cerca de 1 Euro (tendo em conta o câmbio de agora). Dá sempre jeito para as negociações na praça. Nós fizemos a troca do dinheiro logo no aeroporto e caso guardem o papel podem voltar a trocar por euros na volta. Se trocarem mais de 300€ têm valores de taxa mais baixos.
- Falando em dinheiro o melhor para negociar são as viagens de taxi. Dá sempre para acordar um valor e tentem sempre baixá-lo porque nisso os preços são bastante baratos. O taxi é um óptimo meio de transporte na cidade, por isso é de negociar e aproveitar!

Jardim Majorelle
Jacques Majorelle foi um pintor francês que projectou o Jardim Majorelle em 1924 e o seu trabalho teve tanto sucesso que o azul utilizado nos jardins foi nomeado 'azul majorelle'. Em 1980 Yves Saint Laurent e Pierre Bergé tornaram-se proprietários do jardim e restauram-no por completo. 
Histórias à parte o azul majorelle é de facto muito bonito e mais ainda é o jardim que me deixou completamente cativada! Este é um dos locais a não perder em Marrakech.

A entrada do jardim... A verdadeira 'entrada' custa cerca de 50 Dirham's (cerca de 5€) só com visita ao jardim, a visita ao jardim e ao museu são cerca de 100 Dirham's.




O azul é o elemento de destaque do jardim e o contraste com os verdes e amarelos dá um toque ainda mais especial ao espaço.

Esta foto não podia perder nem por nada...

A 'presença' de YSL é uma constante... A própria rua tem o seu nome como forma de homenagem!



Mais umas imagens porque neste sítio nunca são demais!

Bab Agnaou - o portão da cidade
Este é o portão mais famoso da muralha... Significa 'Portão das pessoas negras', uma vez que uma porta de entrada usada pelos plebeus. Mantém a arquitectura original Maghreb.

Saadian Tombs
Os túmulos saadianos são do século XVI e foram mandados construir por Ahmad al-Mansur e pertencem à dinastia Saadiana. O nosso guia também nos explicou que os corpos são embrulhados em lençóis brancos e colocados na terra, porque nós nascemos da terra e devemos morrer absorvidos pela terra. Para esta cultura os caixões não fazem sentido nenhum porque o nosso corpo deve estar em contacto com a terra. Neste espaço existe um jardim com flores, que serve para fazer um contraste entre a vida e a morte.


Ainda há mais para contar... Stay Tunned!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá!
      Obrigada pelo teu comentário...
      Esta semana vou postar a última parte do roteiro e tentar responder a todas as tuas questões!
      Fica atento =)

      Eliminar